Artigos

O Mundo dos Homecockpits, Entrevista Exclusiva com Nuno José do B737Sim e A320Sim

Iniciando a série e reportagens em texto e vídeo na AeroSim Brasil, o primeiro tema escolhido é de extrema curiosidade e duvidas na comunidade, estamos falando dos famosos Homecockpit’s para simulação aérea virtual. Neste artigo vamos esclarecer as principais duvidas de quem pretende investir ou apenas curiosidade neste mundo.

Hoje em dia a simulação de maneira geral está cada vez melhor, com aprimoramentos na realidade da simulação, mas isso tudo tem um preço…sim muito alto, muita gente se contenta com seu mouse, já outros preferem um Joystick, subindo um pouco mais temos os manches e throttle incluindo MCP e avionicos básicos, mas chegando ao nível máximo temos quem prefere a realidade de forma extrema chegando ao ponto que investir cerca de 100.000 Euros, sim estamos falando de Nuno um Português que iniciou assim como grande parte de nós meros mortais na simulação virtual, com apenas um PC, Joystick e alguns acessórios, veja o relato de Nuno: (gramatica portuguesa PT-PT)

“Certo dia fui convidado por um amigo meu, para ver o seu simulador, que contava com um Pc e com um joystick e outros acessórios, podia-se ligar à Vatsim / Ivao, estava engraçado e despertou-me a curiosidade. O meu Pai já contava com mais de 30 anos de serviço na TAP, mas sempre me virei para a informática desde os meus 16 anos, na qual abri uma microempresa em 1999 na área da informática. Como sou muito curioso, ao ver esses acessórios ligados a um PC despertou em mim uma nova paixão na qual hoje não me consigo separar, isto em 2007.

Como tenho uma empresa de informática, é mais fácil adquirir material. Comecei então a analisar/ler artigos sobre aviões/simuladores na internet, adquiri um bom PC e vários écrans para fazer a simulação de diversos aviões e utilizando o FSX. Em 2011 deu-se uma reviravolta e muito grande… pois através da minha constante pesquisa na internet vi que havia uma feira anual em Amsterdão (Lelystad), e aventureiro como sou comecei a programar a viagem (Avião / Hotel / Comboio…), no dia 04 Novembro de 2011 lá estava eu em Lelystad, no dia 5 desloquei-me à feira e… espetáculo…milhares de pessoas com a mesma paixão (afinal não sou maluco…sozinho), falei com diversas pessoas e fabricantes de cockpit´s (quase reais) e pronto, fiz os primeiros contatos e assim se estraga a carteira.

Tive de escolher entre o Boeing e o Airbus, como na altura era muito difícil arranjar todo o material para o Airbus, lá veio o Boeing 737 NG. No dia 5 de Dezembro de 2011 fiz a encomenda ao fornecedor escolhido (MIP, CDU bay, Glareshield, + MCP e Efis’s, no dia 13 Fevereiro de 2012 esta chegou…com alguma peças em falta, através de alguns email’s lá foi possível resolver as coisas com o fornecedor; é claro que esta encomenda foi uma das muitas que tive de fazer. Durante o ano de 2012 fui adquirindo os LCD’s para o CPT & FO, e os Gauges. No fim de 2012 comecei a adquiri os materiais para o Pedestal (Nav,Comm,ATC,ASP’s,ADF’s…etc.), só acabei o pedestal em 2013. Ainda em 2013 adquiri o Yoke para o CPT. Entretanto em 2014 veio o Yoke para o FO, o throttle P&P e os rudders interligados (aqui tive muita sorte, pois um fornecedor sem escrúpulos lixou muitos clientes…eu tive sorte). Também em 2014 vieram os CDU’s e mais tarde em 2017 troquei os Chrono’s por outros (réplicas do B737 NG).

Agora começava a parte engraçada… criar uma estrutura para acomodar as peças do simulador. Em 2014 ainda faltava tanto e já milhares de euros gastos…sem fim à vista…é necessário ter um apoio verdadeiramente sólido para ter chegado aqui, pois ter Esposa, três filhos e dar suporte monetário a mais um (o mais gordo ), é obra. Ainda faltava a base, na qual pedi ajuda a um amigo, foi a primeira base… estou na terceira e vou acabar na quarta versão.

Mas não esmoreci… já tinha pesquisado o suficiente para ter na cabeça e no papel todas as medidas necessárias para a sua concretização. Comprei uma máquina de corte, e lá comecei a demanda, na qual refiz a base, e criei toda a estrutura da caixa. Também fiz os Seat’s (acentos) dos pilotos em madeira, e mandei estofa-las a uma primo meu. Toda a estrutura do simulador alberga os 5 écrans de simulação, os 4 écrans para o instrutor, os 6 servidores para todo o simulador, sistema surround, UPS e toda a cablagem necessária para o seu funcionamento.

Para os curiosos, Nuno utiliza em seus simuladores uma alta gama de addons e hardwares para simulação, iniciando com os addons, o simulador base é o Prapar3D V4 Pro, para motor meteorológico foi escolhido o ActiveSky, por sua alta qualidade e confiança. Nuno quando possível utiliza apenas cenários desenvolvidos por empresas de terceiros como Aerosoft, UK2000, MK-Studios, Flight Beam e mais. Para aeronaves Nuno conta com os softwares da ProSim, para o 737 e A320, sendo assim chegando ao gasto de 12.500 Euros para o B737 e 15.000 Euros para o A320.

No Brasil a utilização do home cockpit também está presente, apesar dos altos custos, a utilização de um é viável para o Brasil, mas não para todos os bolsos. Como exemplo, temo hoje atrelado a simulação virtual, a VA (Virtual Airlines) HomeCockpits Brasil, uma companhia aérea virtual, com mais de 23 pilotos espalhados pelo Brasil e registrados na IVAO. Mas não para por ai, em São Paulo, a Delta 5 domina o mercado de cockpits profissionais, tanto de A320 quanto B737, apesar de receberem entusiastas, a empresa foca também no uso profissional.

Esperamos que com este artigo, possa ter esclarecido a duvida de muitos, e aproximado a comunidade a uma “divisão” da simulação virtual.

Agradecimentos especiais a Nuno José, do B737Sim e A320Sim. Obrigado.

Não esqueça! Para os interessados e residentes ou de passagem por Lisboa, recomendamos a reserva de uma hora com Nuno,  o mesmo está localizado Alverca de Ribatejo. Com valores acessíveis a todos os públicos. O aluguel mínimo para o B737 é 01:30h e para o A320 são 01:30h .Confira os sites abaixo.
B737Sim A320Sim